9.2.10

Divulgação do Arlequim

Agora que já passou um mês (ou quase) da homologação do Arlequim, vejo chegada a hora de opinar acerca do que acho ter sido o trabalho de todos na obtenção deste objectivo.

Primeiro que tudo, dar o mérito e louvor aqueles que logo desde o inicio foram contra "ventos e marés", e que acreditaram que esta ave poderia a ser a primeira ração de canarios portugueses.
Depois dar o mérito aqueles que tiveram a visão de criar uma "instituição" (CCAP) para dar apoio e suporte a essa luta que se adivinhava.

Contudo é neste aspecto que começam, no meu entender, a aparecer aspectos menos positivos, e quiçá destabilizadores, no que toca à projecção e divulgação da raça, senão vejamos:

Em nenhum momento deste enorme trajecto que a raça fez, houve uma divulgação a nível nacional. Nunca em nenhum momento o país soube (como ainda agora não sabe) que se estava a trabalhar para Portugal ter um raça de canários.
Em nenhum dos mundiais em que a raça foi posta à prova se soube (através dos meios de comunicação social) do que se havia passado. Toda a informação foi passada de boca em boca, porque só algum tempo depois o site do CCAP informou do que se havia passado.
Até o mesmo site não faz jus aquilo que a raça merece. Demasiado tempo incativo, sem actualizações, e até mesmo o acesso ao associativosmo com este clube fica um pouco dificultado (no meu ponto de vista), ao nao se conseguir tirar dele a ficha de pré-inscrição para sócio (situação que se notou durante um largo periodo de tempo).

Como prova de tudo isto que acabei de afirmar, repare-se que neste ultimo mundial, realizado EM PORTUGAL, onde a raça teria a ULTIMA E DERRADEIRA PROVA, nem nesta altura os meios de comunicação social estiveram presentes, para darem o testemunho de uma situação que é razao de orgulho nacional.

Apesar de tudo isto, não podia tambem deixar de dar os parabéns ao CCAP, por conseguir, em colaboração com outras pessoas, homologar a raça que há muito deveria ser.


Pessoalmente, o meu sincero OBRIGADO a todos os criadores, que mesmo não tendo o apoio devido, continuaram a lutar para que o Arlequim fosse hoje aquilo que é!